Fontes livres no GNU/Linux

Ola pessoal,

Em Setembro de 2007, nos primórdios da minha trajetória como entusiasta de Software Livre eu escrevi este artigo no meu blog do WordPress.

Dali pra frente muita coisa mudou. Então resolvi dar uma repaginada neste tópico e em vez de abordar como colocar fontes proprietárias em seu sistema operacional, por que não ensinar a colocar fontes livres?

Antes de partir pros finalmente, você sabia que fontes também possuem licenças? Que utilizar uma fonte proprietária sem adquirir parcialmente ou totalmente seus direitos pode acarretar processo não apenas para o designer mas também para o cliente? Sim meus caros! Embora esta prática não aconteça com frequência aqui em nosso país, em certos lugares isto é levado muito a sério.

Um grande exemplo é a fonte Times New Roman, uma das mais usadas no planeta, que esta sobre a licença da Microsoft. Cujo os direitos pertencem apenas a empresa de desenvolvimento de software. Assim como a fonte Arial e a Verdana.

Ao pensar em um logotipo ou qualquer outra identidade visual e escolher uma família de fonte, devemos sempre checar sua licença. Existem sites especializados em vendas de fontes. Um dos maiores é o fonts.com, que basicamente trabalha com estes tipos de licenças.

Se você realmente tentou ler todos os termos das licenças expostas no link acima, assim como eu, deve ter achado muito confuso todo o processo. Como burlar este tipo de situação? Simples, use fontes que tenham licenças livres! Hoje em dia possuímos um ecossistema muito vasto de fontes funcionais e elegantes para os mais variados projetos.

Um grande exemplo é a fonte Ubuntu, a fonte criada pela Canonical para agraciar o logotipo do seu SO GNU/Linux de mesmo nome, cujo a licença é Open Sans que lhe permite uso irrestrito.

Mas aonde encontrar fontes que detenham licenças livres? Assim como existe sites especializados em vendas de fontes proprietárias, também existem sites que disponibilizam fontes livres. Segue abaixo alguns exemplos:

fontlibrary

open-foundry

Google Fonts

Uma vez baixado a fonte desejada, o próximo passo é instalá-la em seu sistema operacional para que todos os seus softwares gráficos possam utilizá-la.

Neste artigo irei abordar a instalação em um sistema operacional GNU/Linux, pelo simples fato de ser o tipo de sistema que utilizo. O bem legal é que podemos fazer esta tarefa de 2 formas distintas, uma seria de forma global, ou seja, a fonte instalada será utilizada em qualquer conta de usuário existente na máquina. A outra forma seria de forma local, somente uma conta em específico utilizaria este tipo de fonte. Esta segunda forma, faz com que o sistema só carregue na memória um número especifico de fontes, preservando os recursos para outros usuários.

Um exemplo, na mesma máquina temos 2 usuários distintos, um é Designer e precisa de um número razoável de fontes para se trabalhar, o outro é um Fotógrafo, cujo este recurso não é tão essencial. Se instalarmos as fontes somente na conta do Designer, quando o Fotógrafo for acessar sua conta, as fontes em excesso não serão carregadas no sistema.

Aonde instalar as fontes? Após baixar a fonte desejada copie e cole nas pastas correspondentes:

Global

/usr/share/fonts

Local

/home/USUARIO_DESEJADO/.fonts

Só uma dica, pra não ficar espalhando um monte de fonte num monte de pastas, eu costumo criar uma pasta específica e lá colocar todas as fontes novas. Eu sempre a nomeio de CaduFonts. Assim ao formatar a máquina e precisar reinstalar todas as fontes, basta copiar toda a pasta.

Ao final de tudo isto, precisa reiniciar o sistema? Estamos falando de GNU/Linux, basta dar o seguinte comando no terminal.

fc-cache -f -v

fc-cache – Atualiza o cache de fontes
-f – Força uma varredura nos diretórios
-v – Mostra o resultado na tela

Até a próxima pessoal!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *